segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Eternas saudades

Segunda passada, apesar de perceber que minha linda Kiske estava bem malzinha da saúde, não esperava que seria o meu último dia com ela. A passagem dela foi bem triste, mas prefiro lembrar dos bons momentos.
Nasceu no meu quarto (14.03.98), filha de Brenda (cocker spaniel - 1995-2007) e Bob (SRD). Foi a primeira a nascer, seguida de 4 irmãos. Como Brenda não comeu a placenta, meu irmão que teve que cortar. Sempre foi muito agitada, gostava de uma boa comida e ficava alegre em ter a casa cheia. Esperava o último que chegasse em casa ir dormir para dormir também. Fez uma linda amizade com Touro (pitbull). Era ela quem tomava conta da casa. A única da família com dois nomes: Luma Kiske. Apelido era o que não lhe faltava: Lulu, Lu, Luluzinha, Bibi, Princesa, Kiki, Kiki Linda, Kiskinha...
Ela me deu um susto quando caiu do muro da casa onde moro atualmente. Eu vi na hora e fiquei desesperada. Lembro-me de minha mãe, junto comigo, acariciando Kiske e dizendo, com lágrimas nos olhos: "como você a ama! Que linda relação"! ...Verdade. Depois cercamos a frente do muro para que ninguém mais se machucasse. Kiske não teve nada, por sorte.
A doença que contraiu nos deu uma verdadeira rasteira. Eu sabia que minha Bibi não ia suportar ficar internada. Fizemos de tudo para que ficasse poucas horas fora de casa. Nunca vou esquecer do olhar que me deu na sala do médico, com as suas patinhas me segurando pela calça e o seu choro. Sempre vou lembrar da sua alegria, do latido que dava quando eu chegava em casa, da cara de sono ao me acompanhar pra ir dormir, do sorriso que dava quando de longe olhava toda a família reunida.
Deixou saudades. Eternas saudades.

Nenhum comentário: