terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Indignação Virtual - Caso do Yorkshire, violentamente assassinado em Formosa, GO- BR (parte I)

1° post no Facebook, dia 15 de dezembro: Eu nem quis ver o vídeo... Esse tipo de notícia é revoltante, triste, mas é importante de ser compartilhada para que haja conscientização, não só nos cuidados que devemos ter para com os animais não-humanos, mas na sua proteção legal. Maus-tratos é crime. "Neutralidade ajuda o opressor, nunca a vítima. Silêncio encoraja o torturador, nunca o torturado", Elie Wiesel. Link divulgado: Agressão a cachorro é gravada em vídeo

2° post, dia 16 de dezembro: Diariamente cães sofrem maus-tratos, esse é mais um caso absurdo e revoltante. A criança que presenciou isso, jamais esquecerá. A pessoa que agrediu o cãozinho está para além de ser um monstro, nem quero imaginar o que já fez/faz/fará como enfermeira...Link divulgado: Polícia abre investigação sobre caso do cão agredido em GO

3° post: Assinatura da petição pública - caso do yorkshire violentamente morto, em GO.

4° post: Desabafo - Enquanto tem gente que bate, maltrata, espanca, tortura, aprisiona, abandona, não cuida, mata; tem gente que ama ter um dogzinho vivendo em família. Digo sempre ao meu dog que ele tem sorte de viver com a família que o adotou... 

5° post: "Na manhã de hoje, o vereador e presidente da Comissão da Defesa dos Direitos da Criança, Elias Vaz (PSOL-GO), entregou uma denúncia contra a mulher para a delegada-geral da Polícia Civil de Goiás, Adriana Accorsi. Além da investigação sobre a morte do animal, ele pede que seja investigada a presença da criança no momento das agressões. No Twitter, a ex-senadora Heloisa Helena disse que entrou com uma representação contra a mulher no Ministério Público. 'Já conseguimos agora! Obrigada a quem de forma responsável me passou por DM! É de Goiânia! Vamos Formalizar Denúncia!/ Acabei de enviar Representação MP/Vara da Infância e Procurador Geral de Justiça/Goiás. #LeiLobo'”. Para quem interessar, leia mais em: http://www.anda.jor.br/16/12/2011/enfermeira-que-matou-cao-em-go-diz-que-animal-mereceu-agressao

6° post: Nada contra a raça pitbull e muito menos a favor da imagem de "brigões". Porém, achei engraçada a manifestação que fizeram através dessa imagem. De repente, a imagem do pitbull "mau e brigão" fora positivada como a de um cão forte, com boas intenções: a de defesa do pequeno e frágil cão da raça yorkshire, brutalmente assassinado.


7° post:

8° post, 17 de dezembro: Desabafo. Espanta-me a quantidade de gente engajada em questionar as manifestações contrárias ao ato de violência a um cão da raça yorkshire, que, inclusive, resultou na sua morte. São a favor do que, da violência contra animais? Não me digam que são a favor da enfermeira?! Ah, não, são contra a tamanha manifestação ocorrida e que essa só ocorre quando o bichinho é fofo? Humm, e vocês são o que, veganistas, vegetarianos, ativistas que querem que ampliem a discussão para “vacas, porcos e galinhas”? Aliás, onde é que entra o vegetarianismo nesse assunto mesmo? Tem alguém aí querendo aproveitar a carne do cachorrinho? Ah, então,entendi errado, atrapalhou alguma outra manifestação?! Claro, muita discussão sobre o assunto, um dia inteiro do ano de 2011, o ano já está acabando, que saco! Hummm Querem manter uma crueldade consentida, afinal de contas, era um yorkshire, insignificante, não?
Bom, eu prefiro a compaixão exagerada. Já diria Levai, “E os exemplos de crueldade consentida recaindo sobre os animais não cessam, pelo contrário, multiplicam-se em proporção geométrica”. Deveria eu alertá-lo de que houve essa manifestação toda por causa de um yorkshire?!? Não. Outro dia me perguntaram: “quantos casos de maus-tratos são esses?! Todo dia um caso novo de embrulhar o estômago”! Sem mais a dizer, sigo com Tom Regan: "Os animais não existem em função do homem… eles possuem uma existência e um valor próprios. Uma moral que não incorpore esta verdade é vazia. Um sistema jurídico que a exclua é cego".

9° post: Instituto Nina Rosa, acompanho faz tempo. Como denunciar maus-tratos a animais?  

10° post: Tô muito feliz com todas manifestações contra a enfermeira que matou seu indefeso dog. Muito calor e felicidade.

11° post, 18 de dezembro: Gente, isso é sério!

A enfermagem é uma bela profissão, quem não sabe?! E, como em toda profissão, possui bons e maus representantes.
No caso do yorkshire, talvez, se não fosse ressaltada a profissão, por exemplo, não houvesse, nem de perto, a repercussão que teve, por se tratar de apenas mais um cãozinho morto de maneira cruel! Não é à tóa que se diz "a" enfermeira, determinando alguém a que se refere - Camila de Moura, e não "uma" enfermeira, generalizando. Acontece o mesmo qdo se diz "'mãe mata filha", "Vigilante acusado de matar Neylton recebeu habeas corpus", enfim, não é verdade?!
O assassinato do yorkshire foi grave sim e soma a tantos outros casos, diários, de crueldade praticada contra animais não-humanos. Não percamos o foco da campanha que houve e vamos acompanhar o caso!

Lei Federal 9.605/98 - dos Crimes Ambientais

Art. 32º
Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos:
Pena: detenção, de três meses a um ano, e multa.
§ 1º Incorre nas mesmas penas quem realiza experiência dolorosa ou cruel em animal vivo, ainda que para fins didáticos ou científicos, quando existirem recursos alternativos.
§ 2º A pena é aumentada de um sexto a um terço, se ocorre morte do animal.

Alguns exemplos de maus-tratos:

- Abandonar, espancar, golpear, mutilar e envenenar;
- Manter preso permanentemente em correntes;
- Manter em locais pequenos e anti-higiênico;
- Não abrigar do sol, da chuva e do frio;
- Deixar sem ventilação ou luz solar;
- Não dar água e comida diariamente;
- Negar assistência veterinária ao animal doente ou ferido;
- Obrigar a trabalho excessivo ou superior a sua força;
- Capturar animais silvestres;
- Utilizar animal em shows que possam lhe causar pânico ou estresse;
- Promover violência como rinhas de galo, farra-do-boi etc..


 
12° post: Bom ouvir, melhor do que ver: Vizinha que gravou mulher agredindo cachorro fala com o Domingo Espetacular

13° post, 19 de dezembro: "Comenta-se que o número de denúncias de maus-tratos a animais cresceu muito ultimamente, o que nos leva a imaginar que antes das redes sociais, o número de casos eram infinitamente maiores - só não eram denunciados por falta de oportunidade, receio e de respaldo". Recentes casos de maus-tratos a animais levantam a polêmica sobre procedimentos na hora de efetuar denúncia

14° post: Apologia e Incitação a práticas cruéis contra animais na Internet, também é crime:

Se o internauta encontrar material escrito, imagens ou qualquer outro tipo de representação de idéias que incitem os maus-tratos de animais silvestres, domésticos ou exóticos, este deve ser denunciado. Safernet


15° post, 20 de dezembro: A quem ainda se queixa da manifestação que houve por causa da morte do yorkshire, ao invés de perderem tempo reclamando, postem aquilo que acreditam, as causas que defendem, o que lhes causa indignação. Ou ficarão chateados, de bico, com tantas msgs sobre o mesmo assunto - seja ele qual for - da próxima vez também?! Ah, juízo!


segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Bahia, ah, Bahia!

Ah, Bahia. Eu quero sair daqui um dia, não pelo seu povo, só pelo calor. Não tenho paciência com o trânsito. Não tenho paciência com a baianidade carnavalesca. Não tenho paciência com os "guardadores de carro" e os que ficam na sinaleira. Nem preciso lembrar dos que insistem em vender algo. Adoro o Red River. Contorno. Cidade Baixa. Barra. Ilha de São João. A beleza natural. Tudo de passagem, bonito de se ver. As praias ( boa parte) impróprias pra banho. Linha verde, pra ir sem pensar pra Aracaju. O cheiro de eucalipto, da praça. O sol, só quando se põe. A chuva, qdo traz um vento frio (24 graus rs). Gosto do meu Bahêa. Gosto de personagens característicos (que só aqui tem). De um lado, Jorge Amado. Armandinho. Do outro, Miguel, Cebola, Lindo, e tantos outros. Só senti falta daqui uma vez, mas, tão logo de volta, já queria partir.
 Foto: Adriana Costa Tourinho.

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Irascível

 "Vale a pena irritares-te contra a existência da víbora ou do touro?" (Vergílio Ferreira)


Tem gente que gosta de irritar. Facilmente sou irritável. Há aumento de sensibilidade. Limites existem. Uma vez extrapolados, há uma manifestação violenta de ânimo irado, raivoso. Se vale a pena me irritar? Sou sensivelmente irascível.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Janela verde


De uma janela, numa rua paralela à Manoel Dias, percebi que tinham derrubado uma árvore que esverdeava a vista. No lugar da árvore e casa, há agora um estacionamento. Logo tive a lembrança dos micos que ali ficavam e perguntei por eles... A moça então comentou: "no dia em que cortaram a árvore, os gritos dos micos eram de desespero! Deu muita dó ouvir os gritos; não tínhamos como ajudá-los".

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Aos velhos amigos!

Um amigo novo é como um vinho novo. Não é tão agradável quanto o sabor do vinho já envelhecido. A variedade da uva é importante, e o amadurecimento e o envelhecimento em barris de madeira não é para qualquer um. Fato é que a maioria não tem o potêncial para envelhecer.
“Por mais raro que seja, ou mais antigo, só um vinho é deveras excelente: aquele que tu bebes calmamente com o teu mais velho e silencioso amigo” (M.Quintana).

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Entre a cruz e a espada

Se alguém me contasse que estão pensando em tirar chifres de rinocerontes a fim de coibir a sua caça, eu riria como se estivesse ouvindo uma piada. O pior é que é verdade! Na África do Sul, o governo cogita essa hipótese como solução para proteger os rinocerontes dos caçadores de chifres.
A caça voraz tem por base uma crendice de que o pó dos chifres dos rinocerontes seria útil na cura de febre, pressão alta e câncer. Diz-se também que serve como afrodisíaco, além de ser fonte de juventude eterna.
A figura do rinoceronte transmite força, energia, coragem, qualidades desejáveis por boa parte da humanidade. Por isso mesmo, há uma busca dessas qualidades em seres que apresentam características físicas e comportamentais poderosas. Para cada parte do corpo de um animal, ou ele no todo, há um costume, mito, uma crença ridícula envolvida, um folclore, uma bobagem. E, em nome disso, destroem, aprisionam, torturam, exterminam os animais não-humanos. A estagnação da consciência com relação à realidade vital desses seres dá impulsos apenas a pensamentos primitivos de domínio, com ou sem absorção desses mitos – depende de cada caso. É como se o homem quisesse sugar desses animais as suas almas (que a maioria refuta a possibilidade deles as terem).
Lembra-se do Popeye, de como ele ficava ao comer espinafre? É com a mesma intenção de ficar igual ao Popeye, que o homem consome pó de chifre de rinoceronte: tornar-se forte, viril e saudável. Fato é que, tanto o espinafre, quanto o pó do chifre do rinoceronte não são ingredientes para receitas prontas e poderosas com fins de superar obstáculos da vida e de se tornar um super-homem. Somos fracos, ignorantes, perversos e só vencemos e perpetuamos a nossa espécie porque temos armas para lutar.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Cinzas de sonhos

Espirros. Além de expelir impurezas do nosso organismo, deveriam expelir nossos sonhos. Sonhos desvanecidos, esquecidos, impossíveis de se realizar. E que eles não respinguem, respondendo com maus modos. Crepitem e virem cinzas esquecidas.

domingo, 28 de agosto de 2011

Temos Estrelas

Infelizmente, nem sempre o time para o qual torcemos vence. Às vezes, ele empata, ou, muito pior, perde. Quando há uma sequência de maus resultados, assumimos (nós torcedores) a postura de torcer (+ -)dor. É uma dor que não é física, mas que dá muita dor de cabeça. Temos que aturar torcidas rivais, além da própria incógnita de como o seu time vai oscilar num campeonato.
Um time quando não vai bem, normalmente provoca a desilusão quanto a uma possível melhora. Ou não. Eu torço por um time que teve momentos de glórias e de derrotas. Esteve inconspícuo durante uns anos, mas reergueu-se.
Torcemos quando é e porque é vitorioso. Silenciamos quando não o é. Da boca para fora. Por dentro, há um sussurro de vozes indignadas e apaixonadas. Não, não nos rendemos à derrota. Damos a volta tortuosa no coração e de lá arrancamos, mais uma vez, o grito de torcida. E assim, torcemos para que o time se desdobre e siga na direção de mais estrelas, porque duas já lhe estão brilhando no peito.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Palavras ao vento

Lamentável a opinião de José Medrado no jornal A Tarde de hoje. Esse argumento de crianças (animais humanos) abandonadas, passando fome, etc., contra o de se ajudar animais (não-humanos) é a coisa mais absurda que já ouvi, ouço e sei que continuarei a ouvir de pessoas que se dizem humanas, solidárias e éticas para com os seres da sua mesma espécie (animais humanos).

Esse tipo de discurso é inadequado e especista. Moradores de rua encontram conforto e amizade em cães abandonados; crianças com algum tipo de enfermidade e idosos encontram alegria de viver, motivação, amizade no convívio de animais não-humanos. O contrário não existe? Por que não podemos cuidar dos animais não-humanos? Por que não pode existir uma manifestação significativa em prol desses seres vivos, principalmente quando precisam de ajuda?

O ato de compaixão deve ser envolto de amor e respeito pela vida, não importando se esta é de uma flor, um golfinho, uma foca, um tatu, um elefante ou um homem. Ter compaixão pela vida deve ser algo a ser ressaltado e comemorado e não desprezado. Enfim, palavras ao vento de Medrado e parabéns a todas as ONGs de Salvador e mundo que ajudam animais de outras espécies de forma humana apesar de ajudarem não-humanos.


Compaixão censurada


A crítica de José Medrado foi com relação à mobilização de internautas para ajudar o leão Ariel. Portador de uma doença degenerativa, o leão sensibilizou muita gente com a sua história. Após muitas tentativas de tratamentos, o leão não sobreviveu. Faleceu no dia 27 de julho e no dia 31, teve o seu corpo foi cremado.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Citação

"Os homens não ousam confessar, nem mesmo a seus corações, as dúvidas que têm a respeito desses assuntos. Eles valorizam a fé implícita; e disfarçam para si mesmos a sua real descrença, por meio das afirmações mais convictas e do fanatismo mais positivo".

David Hume (1711-1776)

Atéia sim

O vídeo "Who needs faith"? mostra o que tantos religiosos relutam em admitir: eles são pouco ou nada tolerantes. É de emocionar ver a garota chorando não só porqueos colegas a perturbavam por ela ser ateísta, mas os próprios professores da escola.


Ah, esses religiosos, espero que eles queimem nos seus devidos infernos!


O vídeo é em língua inglesa, não possui legendas em português: Who needs faith?