quinta-feira, 27 de junho de 2013

Lista de palhaços brasileiros, impossível não sorrir lendo os nomes: Atchim, Espirro, Piolin, Pinguinho, Bolinha, Arrelia, Bozo, Carequinha, Espirro, Estilingue e Torresmo.
Sempre que ouço o galo cantar, remeto-me ao interior.

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Denuncie o tráfico de animais!

Nova resolução dispõe sobre o depósito e a guarda provisórios para manutenção em cativeiro domiciliar, em território nacional, de animais silvestres apreendidos ou resgatados pelos órgãos ambientais, como também oriundos de entrega espontânea.

O depósito e a guarda se aplicam quando houver justificada impossibilidade das destinações previstas no §1 do art. 25, da Lei n 9.605/98, que diz: "os animais serão libertados em seu habitat ou entregues a jardins zoológicos, fundações ou entidades assemelhadas, desde que fiquem sob a responsabilidade de técnicos habilitados".

Ou seja, na impossibilidade referida no art. 1o, os órgãos ambientais formalizarão, preferencialmente, o termo de guarda de animais silvestres (TGAS) e o termo de depósito de animais silvestres (TDAS). Os artigos 4 e 5 da resolução dispõem quais espécimes se enquadram nas concessões dos termos. O art. 10 é polêmico porque diz que cada interessado pode manter até 10 animais silvestres, podendo esse número ser ampliado mediante justificativa técnica.

Indiretamente, arrisco dizer que é uma resolução que favorece a existência do tráfico de animais, sim. Há o estímulo - mais intenso - dos órgãos ambientais para a manutenção em cativeiro domiciliar dos animais silvestres. Esse tipo de ação, no final das contas, mantém a ideia de posse dos animais silvestres pelos humanos, agora pela via legal. Temos que ter fundações e entidades capacitadas para receber esses animais com fins de devolvê-los ao seu habitat quando possível. Caso não seja, devem existir locais apropriados, com técnicos habilitados (como dita a lei) para que esses animais sejam devidamente cuidados. E não entregá-los nas mãos daqueles que seriam possíveis compradores.

Os órgãos ambientais deveriam desestimular a ideia de ter animais silvestres em cativeiro domiciliar e não o contrário. Não comprem animais silvestres. Ajudar os órgãos ambientais fazendo denúncias é o melhor caminho.

Adriana Tourinho


segunda-feira, 24 de junho de 2013

Pinky e o Cérebro




Com todo o respeito aos meus amigos politizados e todos os que saíram às ruas para exercer a sua cidadania e direito de expressar uma insatisfação com algo, meu comentário sobre o “anonymous” não é indireta para nenhum de vocês. É direta pra uma massa que infla esse "movimento anonymous" tal qual ar em saco de batata ruffles. É cada justificativa do porque das manifestações que parece mais uma "trollagem" que saiu do mundo virtual e ganhou as ruas. Vamos "zuar" o governo, assim eles nos atendem; se atenderem, atenderam, se não atenderem... "- Cérebro, o que faremos amanhã à noite?" "- Vamos tentar conquistar o mundo, Pinky."

Vazio

É sério esse texto?!


Ah, não sei não. Não sei se rio ou se choro com essas coisas. Diz no texto - "O número de pessoas despolitizadas no movimento é muito grande realmente, mas isso não é assustador." Não é? É sim, viram massa de manobra fácil, tanto da esquerda, quanto da direita. 

"A professora Marilia acha isso estranho por motivos históricos e porque ela é militante." E isso é ruim? Ou vamos esquecer a história e seguir movimentos sociais a partir do ideal do "menino da máscara"? Muito cuidado nessa hora! 

E piora: "Essa onda de protestos, por outros lado, não é uma decisão consciente. É um reflexo." Vamos mudar o Brasil de forma inconsciente?! Socorro! 

Outro dia me chamaram de "boazinha", bonzinho é o autor do texto, alguém diga a ele que "Marvim, agora é pra valer" ou morre na praia. Ninguém quer que as manifestações morram na praia, muito pelo contrário. E desse "reflexo", pessoas morreram, isso é sério.

Esse texto só assina embaixo o tom de "trollagem" com o governo, anarquia, descompromisso com a política e ideais políticos. Limpem a boca antes de falar pelo povo!


Da ficção para a realidade


                                                                                                                                                                  
 Tive que escrever algo sobre o que está acontecendo no Brasil. Um desabafo, uma leitura de um movimento que ganha força com a figura de Guy Fawkes, "o único homem que entrou no parlamento com intenções honestas." De onde vem a máscara:

"A graphic novel V de Vingança, com roteiro de Alan Moore e arte de David Lloyd, possui influências da 'Conspiração da Pólvora'. Um personagem que utiliza o codinome V e que utiliza uma máscara inspirada no rosto de Guy Fawkes, tenta promover uma revolução na Inglaterra fictícia (década de 1990) onde é ambientada a graphic novel. A explosão do parlamento inglês também era objetivada, buscando-se concretizar, de certa forma, os planos da conspiração da pólvora (Fonte: Wikipédia)."

Com essa máscara, o movimento "Anonymous," formado por pessoas da internet, de identidades desconhecidas, vão às ruas contra a corrupção, em Salvador e no Brasil. A bandeira da honestidade é a sua marca. Para entender mais sobre o movimento, tem o Wikipédia e o site deles mesmo http://www.anonymousbrasil.com/.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Então, adentremos no mundo da ficção. Palavras do ilustrador, retiradas de um site de Portugal (publico.pt): "'A cara de Guy Fawkes tornou-se numa imagem global que faz todo o sentido nas manifestações contra a tirania. Fico muito satisfeito por estar a ser usada de forma tão especial', afirmou, comparando-a à icónica fotografia de Che Guevara, feita por Alberto Korda, que se tornou num símbolo popular em todo o mundo."

Se faz todo o sentido em manifestações contra a tirania, então, o Fawkes e a sua máscara estão fora de época. A ditadura já acabou, vivemos numa democracia. Bom, se vivemos num Estado Democrático de Direito, onde muita gente gosta do governo de Dilma, e, obviamente, não participou das manifestações, onde entra a relevância do “movimento anonymous” para falar em nome do povo? Realmente está parecendo ficção. São os justos com a máscara de Fawkes mesmo, ou a Direita disfarçada?

Se faz todo o sentido em manifestações contra a tirania, se seguirmos pela direita, que chama o governo do PT de "tirano", apesar de vivermos num Estado Democrático de Direito, melhor convém intitularem as manifestações de “anonymous da direita.” Não estão dando voz ao povo, mas sim dando voz a uma posição política de direita que representa uma parcela do povo, mas não o povo propriamente dito.

Seria muito mais interessante uma máscara de Che Guevara, uma pessoa real, que lutou contra injustiças e corrupções. Ficção, com o tempo a gente esquece. Ou fica anestesiado com historinhas fantásticas. Realidade, essa deixa as marcas na história de um povo que vai à luta. E inspira, de verdade: "Acima de tudo procurem sentir no mais profundo de vocês qualquer injustiça cometida contra qualquer pessoa em qualquer  parte do mundo. É a mais bela qualidade de um revolucionário."